EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

Avaliação de desempenho das empresas

By | 0 comments

Qual a história dos métodos sobre avaliação de desempenho das empresas?

  1. Uma boa explicação sobre o  tema, Avaliação de Desempenho de Empresas, precisa de uma rápida introdução sobre as origens da contabilidade. Ela surgiu com os sumérios, há 2000 anos antes de Cristo, quando tentavam contar mercadorias para troca.
  2. A escrita contábil propriamente dita, com o chamado princípio das “partidas dobradas” (à cada débito deve corresponder um crédito do mesmo valor”) apareceu com Leonardo Fibonacci e com monge Luca Pacioli, principal divulgador do método das partidas dobradas, do século XV. Ali ainda sem saber já estava plantado as premissas que seriam usadas nos métodos de avaliação de empresas.
  3. No Brasil, a regulamentação sobre a contabilidade aparece em 1870, por um Decreto imperial que reconhecia a Associação dos Guarda-Livros da Corte, considerada como a primeira profissão liberal regulamentada no país. De lá para hoje, houve uma enorme evolução dos métodos e princípios da contabilidade, com derivações importantes, por exemplo a contabilidade de custos, um apêndice da contabilidade tradicional.
  4. Dos princípios da contabilidade surge o primeiro método de avaliação de desempenho de empresas , aquele que olha os registros contábeis dos ativos, dos passivos e do patrimônio líquido.
  5. Em uma empresa, as origens dos recursos financeiros são de dois tipos: provenientes dos donos, quotistas ou acionistas ou de terceiros, que são os credores do negócio. A soma dessas duas origens, que podemos chamar de “fontes”, é aplicada nos ativos, quer sejam eles líquidos (dinheiro em caixa ou depositados em bancos) ou itens de estoques de matérias primas e estoques de produtos ou ainda os chamados “ativos fixos” ou “imobilizados”, por exemplo os edifícios, as máquinas, os veículos, os computadores.
  6. Os primeiros métodos de avaliação de desempenho de empresas se baseiam na contabilidade do negócio, que quando é feita de modo correto e atualizado, examinam o chamado “valor patrimonial” da empresa, que é calculado pela somatória dos valores dos ativos subtraída das somatórias do passivo, ou se já, tudo o que a empresa deve a terceiros, ai incluídos salários a pagar, contas a pagar, impostos a pagar, etc. Esse método, nós costumamos denominar de “estático” ou “clássico” visto que essas rubricas aparecem no “balanço patrimonial” o qual sempre se refere à uma determinada data, por exemplo 3/12/2014.
  7. O método clássico pode ser melhorado com as correções dos ativos para considerar os valores de mercado (por exemplo dos estoques) e o valor dos passivos, demonstrando os “ocultos”, por exemplo eventuais perdas de disputas jurídicas ou mesmo com o fisco.
  8. Modernamente, contudo, os métodos mais atuais de avaliação de desempenho de empresas que são usados no mundo de hoje levam em conta a capacidade da empresa de gerar caixa, ou seja, produzir dinheiro ao longo do tempo. Essas metodologias, chamadas de “valor presente dos fluxos de caixa futuros livres” considera as projeções dos negócios da empresa para alguns anos à frente, por exemplo cinco anos. Então, por métodos estatísticos e contábeis, os lucros futuros são expressos em termos de geração de caixa e trazidos para a data atual por uma taxa de desconto, que no Brasil de hoje gira entre 8% e 20% ao ano, crescendo com o risco do negócio.

Abaixo um leitura muito  interessante sobre o tema avaliação de desempenho de empresas.

Download do Livro “Discounted Cash Flow Valuation: Basics” do autor clássico sobre esse método, o professor Aswath Damodaran

Gostou deste conteúdo? Comente e Compartilhe! Ficou com alguma dúvida? Acesse nossa página de serviços e conheça as soluções da EFC para a sua empresa.

468 ad