EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

Nova avaliação do Governo Temer

Opinião

Semana finda 20_05_16

Coradi

Nova avaliação do Governo Temer

Mais uma vez, a foto é só um teaser: Carlos Coradi em Beijing, trabalhando com clientes brasileiros, em frente ao Painel de Mao Tsé-Tung no Palácio de Exposições. Vamos aos pontos relevantes, complementares à minha apreciação de ontem.

1) Se confirmou o convite para que o ex-ministro de FHC, Pedro Parente, assumisse a direção da Petrobrás. Ele é um excelente administrador público e logo de início falou que não haverá nomeações políticas, trabalhará exclusivamente com profissionais técnicos. Nota 10! Pois da Petrobrás saíram os diretores mensaleiros, corrompidos pelas grandes corporações envolvidas em obras de refinarias, navios sondas, etc. que roubaram e afundaram a Petrobrás, processada por bilhões nos Estados Unidos.

2) Se confirmou a mudança no BNDES, sendo escolhida a economista Maria Bastos. A respeitada Miriam Leitão diz, sobre ela:  “A economista Maria Silvia Bastos é excelente escolha para o BNDES. Ela já foi diretora do banco, tem experiência no setor privado e no setor público. Como secretária da Fazenda na gestão Cesar Maia, ela ficou conhecida por ter conseguido superávit no caixa. Na CSN, comandou mudanças importantes na empresa.” Conforme comentei em minha última publicação, sou testemunha do desprezo do BNDES em ajudar, na crise de 2008/2009, pequenas empresas. Vi pessoalmente, dentro do BNDES no Rio de Janeiro, as verbas do projeto de capital de giro que fui buscar para uma pequena indústria de São Paulo serem levadas pela grandes corporações e negadas para indústrias como a que eu apresentei seguindo rigorosamente o protocolo dessa linha.

3) Ouvi atentamente o pronunciamento do Ministro das Relações Exteriores, o eclético José Serra, que já foi prefeito de São Paulo, Governador desse Estado e Ministro da Saúde, sempre exercendo esses cargos com proficiência.  Estabeleceu com absoluta clareza as diretrizes estratégicas de sua atuação, baseadas em dez pontos, que resumo mas cito abaixo a fonte do próprio Ministério de Relações Exteriores, que tem o texto completo e o vídeo do pronunciamento de Serra:

Primeira diretriz:

A diplomacia voltará a refletir de modo transparente e intransigente os legítimos valores da sociedade brasileira e os interesses de sua economia.

Segunda diretriz:

Estaremos atentos à defesa da democracia, das liberdades e dos direitos humanos em qualquer país.

Terceira diretriz: 

O Brasil assumirá a especial responsabilidade que lhe cabe em matéria ambiental,  como detentor na Amazônia da maior floresta tropical do mundo, de uma das principais reservas de água doce e de biodiversidade do planeta.

Quarta diretriz:  

Na ONU e em todos os foros globais e regionais a que pertence, o governo brasileiro desenvolverá ação construtiva em favor de soluções pacíficas e negociadas para os conflitos.

Quinta diretriz:

O Brasil não mais restringirá sua liberdade e latitude de iniciativa por uma adesão exclusiva e paralisadora aos esforços multilaterais no âmbito da Organização Mundial do Comércio, como aconteceu desde a década passada, em detrimento dos interesses do país.

Sexta diretriz:

Por isso mesmo, daremos início, junto com o Ministério da Indústria, Comércio e Serviços, com a cobertura da CAMEX e em intensa consulta com diferentes setores produtivos, a um acelerado processo de negociações comerciais.

Sétima diretriz:

Um dos principais focos de nossa ação diplomática em curto prazo será a parceria com a Argentina, com a qual passamos a compartilhar referências semelhantes para a reorganização da política e da economia. Junto com os demais parceiros, precisamos renovar o Mercosul, continuar a construir pontes, Chile, Peru e Colômbia, mais o México.

Oitava diretriz:

Vamos ampliar o intercâmbio com parceiros tradicionais, como a Europa, os Estados Unidos e o Japão.

Nona diretriz:

Será prioritária a relação com parceiros novos na Ásia, em particular a China, este grande fenômeno econômico do século XXI, e a Índia.

Décima diretriz:

Nas políticas de comércio exterior, o governo terá sempre presente a advertência que vem da boa análise econômica, apoiada em ampla e sólida consulta com os setores produtivos.

Nota dez!!

Fonte: http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas/ministro-das-relacoes-exteriores-discursos/14038-discurso-do-ministro-jose-serra-por-ocasiao-da-cerimonia-de-transmissao-do-cargo-de-ministro-de-estado-das-relacoes-exteriores-brasilia-18-de-maio-de-2016

4) Acabo de ouvir o Ministro da Fazenda, Henrique  Meirelles falar sobre o déficit que se calculou com precisão para o exercício de 2016, a ser enviado para aprovação ao Congresso: negativos R$ 170,5 bilhões, contra os negativos R$ 90 bilhões que a ex-presidente Dilma tinha enviado. Mais do dobro, resultado das pedaladas de seu desastroso Governo. Ela nos deu um golpe!

====================================================

Obrigado por ver minhas publicações. Podem comenta-las, aceito de bom grado comentários, criticas e sugestões.

Carlos Daniel Coradi 

EFC- Engenheiros Financeiros & Consultores