EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

Escândalo: senador e banqueiro presos!

OPINIÃO

 

Semana finda em 27_11_2015

Escândalo: senador e banqueiro presos!

Senado

 Delcídio Amaral, Senador e André Esteves, banqueiro, ambos presos em 25/11/2015

Em meus 78 anos de vida, mas especialmente desde que acompanho a economia e política brasileira (nos últimos 50 anos) nunca vi um dia tão triste como de ontem, quinta-feira, 25 de novembro de 2015. Dia para nunca mais ser esquecido. Um simpático Senador, uma figura conciliadora, líder do Partido dos Trabalhadores no Senado Federal, pessoa chegada à Presidente da República, ser levado preso pela Polícia Federal.  E um dos mais agressivos e competentes banqueiros, André Esteves, preso também.

O senador Delcídio Amaral tem uma bibliografia[1] repleta de sucessos: Engenheiro Eletricista, participou da montagem da Hidroelétrica de Tucuruí, trabalhou para a Shell na Europa, foi Diretor da Eletrosul, trabalhou no Ministério de Minas e Energia como Secretário Executivo, foi Diretor de Gás e Energia na Petrobrás (quando Nestor Cerveró era seu assessor), foi Secretário de Infraestrutura do Governo de Mato Grosso (quando Zeca do PT era Governador),  se elegeu senador pelo PT.

No Senado, presidiu a CPMI dos Correios, que foi a base para o processo do Mensalão. Em abril de 2015 foi escolhido pela Presidente Dilma para ser Líder do Governo no Senado e no Congresso Nacional.

E, apesar desse excelente currículo, arma a soltura de Cerveró, com um plano diabólico para tira-lo do Brasil e leva-lo para a Espanha, pois ele tem cidadania dupla. Garantindo uma mesada mensal de R$ 50 mil para sua família, para que sua delação premiada fosse “suavizada”, livrando ele, Delcídio, e o dono do Banco BTG Pactual, André Esteves, que, como banqueiro bilionário, pagaria a mesada.

Eu pergunto: será que Cerveró iria apenas incriminar Delcídio e Esteves? Ou por trás disso estaria Lula e Dilma?  E pergunto ainda, o que iria acontecer com Cerveró na Espanha? Sua vida estaria garantida?

Graças aos cinco Ministros do STF, Delcídio foi condenado por cinco a zero, depois de ter sido monocraticamente condenado pelo Ministro Teori Zavascki; contudo, o STF seguindo a lei, devolveu o caso ao Senado Federal, cuja primeira tendência foi decidir a sorte de Delcídio em sessão secreta; mas com a televisão e os milhões de ouvintes (certamente enviando centenas de mensagens para os senadores) pressionando por uma decisão aberta, os poucos defensores visíveis de Delcídio perderam nos dois casos: para a votação aberta, o resultado foi  de 52 votos pelo “sim” e 20 pelo “não”; para a decisão de mantê-lo preso, o placar foi 59 pelo“sim” e 13 pelo “não”, com uma abstenção do Presidente do Senado, Renan Calheiros (que inicialmente queria que a decisão fosse fechada). Dia muito triste, mas com a justiça sendo feita. Vamos acompanhar para ver como acabarão os dois casos.

 

Gostou deste conteúdo? Comente e Compartilhe. Ficou com alguma dúvida? Acesse nossa página de serviços e conheça as soluções da EFC para a sua empresa.

 

Mensagem aos meus leitores:

Tenho escrito, aqui no Opinião, todas as semanas sobre os eventos políticos e econômicos mais relevantes do Brasil.

A partir de 2015, passei a escrever também “blogs”, mais sintéticos, que podem ser lidos, pois, são publicados nos inícios das semanas.

Visando a divulgação de minhas habilidades como consultor de empresas, tenho publicado diversos vídeos, que podem ser vistos no meu Canal do YouTube. Clique AQUI!

Um abraço aos meus leitores habituais.

 

[1]Fonte, https://pt.wikipedia.org/wiki/Delc%C3%ADdio_do_Amaral