EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

Lava-Jato e Sérgio Moro enfraquecidos por STF

OPINIÃO

 

Semana finda em 25_09_2015

Editorial: Lava-Jato e Sérgio Moro enfraquecidos por STF

Lava jato

Lava jato

Lamentável a notícia: “Supremo decide fatiar inquérito e reduz poder de Moro na Lava Jato”[1].

O STF, por uma decisão de oito votos contra dois, decidiu tirar de Sérgio Moro o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann, do PT do Paraná, que está sendo julgada por suspeita de fraude no Ministério do Planejamento (cujo ex-Ministro é seu marido, Paulo Bernardo).

A decisão se fundamentou no parecer do Ministro Teori Zavascki de que a denúncia de fraudes envolvendo a empresa Constist e o Ministério do Planejamento não tem relação entre o caso e o esquema de corrupção na Petrobrás. A denúncia partiu de Sérgio Moro, contudo.

Diz a Gazeta do Povo sobre essa mudança[2]:

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) pode ser investigada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento no esquema no Ministério do Planejamento descoberto nas investigações da Operação Lava Jato. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), documentos e controles apreendidos no escritório do advogado Guilherme Gonçalves, que foi alvo de mandados de busca e apreensão na 18.ª fase da operação, mostram repasses da empresa Consist que podem ter ligação com o pagamento de honorários de campanhas da petista.O envolvimento da senadora apareceu depois da Operação Pixuleco II, da Polícia Federal (PF), que teve como alvo contratos de crédito consignado firmados pelo Ministério do Planejamento em 2010 – último ano da gestão do marido de Gleisi, Paulo Bernardo, na pasta.

O que é curioso é que a investigação caiu na mão (veja de quem..) do Ministro Dias Toffoli, que será o novo relator e que já foi advogado do PT antes de ser nomeado para o STF[3].

O Jornal “O Estado de São Paulo, na edição citada, traz também o parecer de Gilson Dipp, ex Ministro do STJ: ele afirma que essa decisão abre espaço para casos semelhantes serem retirados de Sérgio Moro, o que acho péssimo, volta tudo para o chamado “jeitinho brasileiro”, que estava demorando muito para aparecer..

[1]Conforme publicado na primeira página do jornal “O Estado de São Paulo” de 24/09/2015

[2] Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/mpf-liga-empresa-da-lava-jato-a-servico-juridico-da-campanha-de-gleisi-1luv5itv79yuknh2uc4jzjhob

[3]Segundo o wikipedia, Dias Toffoli trabalhoucomo advogado em São Paulo, de março de 1991 a julho de 1995. Nesse período, foi consultor jurídico do Departamento Nacional dos Trabalhadores Rurais da Central Única dos Trabalhadores (1993 – 1994). Em 1994, foi assessor parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.Em 1994 e 1995 prestou concurso para juiz substituto do Estado de São Paulo mas foi reprovado nas duas vezes.Entre 1995 e 2000 foi assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores, na Câmara dos Deputados, em Brasília.Foi advogado do PT nas campanhas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 1998, 2002 e 2006.

 

Gostou deste conteúdo? Comente e Compartilhe. Ficou com alguma dúvida? Acesse nossa página de serviços e conheça as soluções da EFC para a sua empresa.

Mensagem aos meus leitores:

 Tenho escrito, aqui no Opinião, todas as semanas sobre os eventos políticos e econômicos mais relevantes do Brasil.

A partir de 2015, passei a escrever também “blogs”, mais sintéticos, que podem ser lidos, pois, são publicados nos inícios das semanas.

Visando a divulgação de minhas habilidades como consultor de empresas, tenho publicado diversos vídeos, que podem ser vistos no meu Canal do YouTube. Clique AQUI!