EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

A ECONOMIA VAI BEM, A POLITICA VAI MAL!

OPNIÃO

A ECONOMIA VAI BEM, A POLITICA VAI MAL!

Semana iniciada em 25_09_2017

De fato, a economia vai bem, melhora a cada dia.

Eis o quadro publicado hoje, 25 de setembro de 2017 pelo Banco Central, através de seu relatório FOCUS:

 

De fato, a economia melhora a cada semana:

  • O Brasil vai terminar em 2017 com uma inflação bem abaixo do centro da meta, conforme se vê no quadro acima: 2,97%. Examinando a série histórica dos últimos 20 anos desse indicador, encontramos seu menor valor em 2007, com 3,14% e com o maior valor em 2002, 12,53% seguido pela recente inflação de 2015, com o IPCA atingindo 10,67%. Esse número foi a herança deixada pelo governo de Dilma Rousseff.
  • O crescimento econômico, parâmetro importantíssimo, sai de dois anos negativos, 2015 com (-)3,8%  e 2016 com (-)3,6%. Em 2017 a perspectiva é de que seja já positivo em 0,68% para aumentar em 2018 para  (+)2,30% e em 2019 para  (+) 2,50%. Então temos uma série ascendente desde 2015.
  • O emprego dá sinais de recuperação, celebrando a reforma trabalhista, com flexibilizações dos contratos de trabalho e abandono da famigerada contribuição sindical compulsória, que serve apenas para alimentar os gordos e inúteis sindicatos e a corrupção.
  • A taxa básica de juros vem sendo sistematicamente reduzida; o atual presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, tomou posse em 9 de junho de 2016, e manteve a taxa SELIC em 14,15% até outubro de 2016, quando o Comitê de Política Monetária, por ele presidido, iniciou a queda dessa taxa, que deve terminar o ano de 2017 em 7% como se vê no quadro acima.

Mas a política piora a cada dia!

Todos os dias temos uma nova noticia ruim, as coisas no Congresso Nacional não andam,  agora se espera a segunda denuncia contra o Presidente Temer, que dessa vez vem acompanhada por mais pessoas: Eduardo Cunha, os ex-ministros Geddel Vieira Lima (com sua fortuna escondida em um partamento cedido por um seu amigo) e Henrique Eduardo Alves e os atuais ministros, Eduardo Padilha e Moreira Franco, além do ex-deputado, Rodrigo Rocha Loures, o famoso “homem da mala”.

Digo eu: essa denúncia, fruto da última flexa do Dr. Rodrigo Janot, tem prognósticos de ser vencida pelo governo, mas atrapalhará demais o encaminhamento das reformas fundamentais que ainda não foram votadas, em especial a da previdência social. Lamentável!