EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

JUROS CAINDO, MAS MUITO ALTOS AINDA!

OPNIÃO

JUROS CAINDO, MAS MUITO ALTOS AINDA!

Semana iniciada em 02_10_2017

O quadro acima foi obtido no site do Banco Central do Brasil e é muito fácil de ser consultado, através da busca do sistema gerenciador das séries estatísticas através, dos seguintes passos:

1) Abra no google www.bcb.com.br

2) Busque “SGS – Sistema Gerenciador de Séries Temporais”

3) Escolha as séries que deseja ver: escolhi credito livre, operações de pessoas jurídicas; Explico o que é essa categoria: o “crédito livre” é aquele que os bancos arbitram suas taxas, ao contrário do crédito com “recursos direcionados”, no qual o governo tem controle.

4) Escolhi quatro séries distintas de crédito livre, apenas para Pessoas Jurídicas (empresas) que comento abaixo:

  1. A) série 25438: lista, mês a mês, partindo de janeiro de 2017, as taxas médias para desconto de duplicatas, possivelmente a mais utilizada pelas empresas no Brasil. A coleção mostra que em janeiro de 2017 essa taxa estava em 2,57% ao mês e caiu para 1,80% em agosto. Nessa coluna, calculei a taxa equivalente anual, resultando em 23,87% ao ano. Muito alta ainda, pois o infeliz do empresário, ao descontar suas duplicatas, deixa um quarto de seu dinheiro com o banco! A transformação dos números mensais em anuais é um cálculo exponencial e não uma mera multiplicação(vide nota 1).

série 25439: lista mês a mês, partindo de janeiro de 2017, as taxas médias para desconto de cheques, operação muito usada por lojas que vendem contra dois, três e as vezes até quatro cheques mensais. Essa modalidade é mais cara do que descontar duplicatas, mas sua taxa tem também caído: de 3,34% em janeiro de 2017, estava em agosto de 2017 em 2,99%, equivalente à 42,41%. Ou seja, quem desconta cheques deixa quase metade com os bancos. Porque há o risco de que os cheques não sejam pagos, embora nesse caso é a empresa (e não o banco) que tem o prejuízo.

série 25440:lista mês a mês, partindo de janeiro de 2017, as taxas médias para antecipação do faturamento com cartões de crédito; também tem caído de 3,19% ao mês em janeiro de 2017 para 1,77% ao mês em agosto de 2017 e é a modalidade “mais barata” das quatro apresentadas. Ainda assim, significa 23,43% ao ano.

série 25441: lista mês a mês, partindo de janeiro de 2017, as taxas médias para “capital de giro” até 365 dias. Esse dinheiro é raro, ou seja, dificil de obter, especialmente para as pequenas e médias empresas. A taxa era de 1,78% ao mês em janeiro de 2017 e caiu para 1,59% em agosto de 2017, equivalente à 20,84% ao ano. Na crise de 2008 ( a tal da “marolinha” do Lula) o BNDES criou uma linha especial apenas para capital de giro, que tinha um processo de obtenção identificado no site do BNDES. Atendi uma dezena de empresas, tentei ir direto ao BNDES, não adiantou, ele só atendia grandes empresas diretamente. Às pequenas e médias empresas, o caminho obrigatório era procurar um banco credenciado pelo BNDES. Mas em geral, quem estava precisando de capital de giro não conseguia passar na análise de crédito do banco. Aquela situação é igual a de hoje certamente, e o BNDES deveria cuidar desse aspecto, criando um seguro que garantiria aos bancos não perderem o dinheiro com essas empresas.

Nota 1: A expressão para transformar juro mensal em juro anual é a seguinte: =((((taxa mensal/100)+1)^12)-1)*100