EFC Engenheiros Financeiros & Consultores

Prognósticos de quatro conceituados Economistas

OPINIÃO

Prognósticos de quatro conceituados Economistas

Semana iniciada em 25_12_2017

O Jornal “O Estado de São Paulo”, em sua edição de 24/12/2017, vespera do natal, publicou pontos de vista de quatro reputados economistas sobre as perspectivas econômicas e políticas para 2018 e anos seguintes.

Nós fizemos uma síntese de seus principais pontos de vista e resumimos abaixo:

  1. José Márcio Camargo[1], professor do Departamento de Economia da PUC-Rio e economista da Opus Investimentos, realça que o ano de 2017 teve muitos avanços, mas um ponto essencial que faltou foi a aprovação da reforma da Previdência (que Temer promete aprovar, sem falta, em 2018).
  2. Zélia Latif[2] mostra sua preocupação com o resultado das eleições presidenciais do final de 2018, que vai eleger o novo Presidente da República, pois o desempenho do ano de 2019 vai depender da continuidade do crescimento que agora desponta, após a gigantesca recessão dos últimos semestres.
  3. José Roberto Mendonça de Barros[3] sinala sua preocupação com o cenário posterior ao de 2018 (no qual o Presidente Temer procurará terminar suas reformas essenciais); com isso, Mendonça de Barros vê o dilema da eleição como crucial para garantir um futuro presidente que continue a estratégia de mudar para melhor o quadro econômico brasileiro, reduzindo o enorme (ainda) desemprego da população mais carente.
  4.  Finalmente, apresentamos o ponto de vista do Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles[4], que, aliás, é Engenheiro. Meirelles fala sobre como encontrou a economia do Brasil em maio de 2016: “estávamos no sexto mês seguido de queda do PIB; a produção industrial caíra em 7,3% em 12 meses e o comércio 10,2%; os juros Selic estavam em 14,25% e o risco Brasil em 360 pontos-base; nesse curto espaço de tempo, o governo aprovou diversas reformas estruturais, entre elas o ajuste fiscal com o teto dos gastos, a reforma trabalhista, a nova lei de recuperação judicial; várias reformas em relação ao crédito, como a nova TLP”; Meirelles termina seu texto falando dos pontos positivos.

Recapitulo para meus leitores e dou meu ponto de vista:

  • O desempenho da economia em 2018 está garantido, pois o  crescimento do PIB para 2018 está previsto em 3%, com a inflação abaixo do centro da meta do Banco Central e prevista em 4% para 2018; com os  juros Selic reduzidos à metade, 7%; e com saldos comerciais previstos para 2018 em US$ 52 bilhões  (que estão terminando 2017 em US$ 65,8 bilhões); investimentos estrangeiros fechando em US$ 80 bilhões para 2017, recorde absoluto, e com o mesmo valor de US$ 80 bilhões previstos para 2018, denotando confiança dos estrangeiros na retomada do Brasil

[1] Leia o texto integral de José Márcio Camargo acessando o link em http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,muitos-avancos-mas-esta-faltando-um,70002129758

[2] Leia o texto integral de Zélia Latif acessando o link em http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,encontro-marcado-em-2019,70002129808

[3] Leia o texto integral de José Roberto Mendonça de Barros acessando o link http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,2018-e-alem,70002129686

[4] Veja o texto integral de Henrique Meirelles em http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,oportunidade-para-crescer-junto-com-o-brasil,70002129692